segunda-feira, 24 de março de 2008

Falar de Minas...


Dias atrás recebi um desafio. Quem acompanha o Blog já sabe qual foi.
Pra quem não sabe, o Dan, meu novo amigo baiano, sugeriu que escrevêssemos um pouco sobre nossos Estados.
Num primeiro momento pensei: vai ser moleza! Escrever sobre Minas! Minas Gerais! Vivo aqui desde que nasci!
Mas agora me deparo com um grande dilema: será Minas tão diferente e tão único assim?!
Tão fácil de se descrever e tão difícil de ser comparado com os outros Estados?!
A resposta é: não sei...
Mas vou tentar!

Minas Gerais... Mas deveria ser simplesmente “Minas”! Terra das montanhas! Isso não temos como negar! Pra onde você olha aqui você vê um morro, um monte, uma colina, uma montanha! Você já sobrevoou nossas terras?! É um tapete desregular! Mas tudo verdinho! De vários tons! Qualquer coisa que possa ser considerada elevação pertence ao Estado de Minas Gerais! E isso não significa que o mineiro quer ser superior, quer estar sempre no alto. Isso nos mostra que queremos sempre crescer, ir além, não desistir, não parar nunca! E haja fôlego nessa nossa escalada!

E sobre a ausência do mar?! Essa é uma questão que perturba muitos sonos mineiros (e porque não “sonhos”!). Minas não tem mar... Aquele mundaréu de água, de todas as cores, de vários sabores e nadica pra gente... Por isso a mineirada fica louca com um feriado prolongado ou férias em família. E ninguém se importa e pegar uma estrada e viajar sete, dez, quinze horas para se deparar com essa maravilha que Deus criou – o mar! E o mineiro muito menos se irrita quando escuta de um desconhecido “chegou a farofada”! Porque mineiro que é mineiro vai pra praia em bando! Em turma! Mineiro acha um desperdício curtir isso tudo sozinho! Vai, torra no sol, rala na areia, toma todas e toma “caixote” no rasinho, dança ao som do sertanejo no quiosque da orla, junta as tralhas e volta pra casa feliz da vida! Mais sete, dez, quinze horas de estrada... Já fazendo as contas de quando será o próximo feriado.

Mas Minas tem seus rios e cachoeiras, além de seus parques florestais. E tem suas serras e seus vilarejos na serra... Eita trem bão, sô! No inverno, então! Haja lareira e choconhaque pra esquentar esse povo! Cachecol, gorro e meia de lã! Ou então só um moleton, um amor e uma dose de cachaça! Claro que de um jeito ou de outro estaremos reunidos ao redor de uma fogueira ouvindo um bom violão!

Por falar em fogueira, não podemos deixar de lado nossas Festas Juninas – ou, para muitos, Festas Caipiras – que a princípio deveriam acontecer em junho, mas a mineirada, mansinha, que come quieto, foi esticando, esticando e já faz a festa durar até agosto! Pra felicidade dos comilões de plantão. Porque as festas têm quadrilha, casamento na roça, moda de viola, brincadeiras em volta da fogueira, bandeirinhas coloridas e balões. Mas aqui Santo Antônio, São João e São Pedro são festejados é com muita comida: arroz doce, canjica, maçã do amor, paçoca, pipoca, canjiquinha, vaca atolada, feijão amigo, churrasquinho, milho verde e batata doce na fogueira, quentão.

E já que o assunto tendeu para as comidas, o que falar da tradicional comida mineira? Fale o que quiser, mas fale bem porque pro mineiro não há comida melhor no mundo! Pode soltar um mineiro em qualquer lugar desse mundão de meu Deus que ele vai dizer: “Hum! Queria mesmo, agorinha, era um prato de feijão, arroz, angu, torresmo e couve...” Sá Senhora, Benza! E por aí vai: feijão tropeiro, frango ao molho pardo, frango com ora-pro-nobis, frango com quiabo (haja galinheiro!), leitoa assada, feijoada, tutu, dobradinha com feijão branco, rabada, língua com purê de batata, sem falar no nacionalmente conhecido – e totalmente indispensável – pão de queijo! (Ai meu Deus, minha boca ta cheia d’água!). E os doces então?! Claro, todos feitos de frutas frescas apanhadas no pomar ou do leite da "Mimosa": doce de laranja da terra, doce de mamão, de cidra, de figo, de leite cremoso e pastoso... e agora, pra matar do coração um bom mineiro, Romeu e Julieta – aaaaaaaah! – o famoso queijo com goiabada... Ah! Com um detalhe! Se tiver como, é tudo do quintal de casa! As galinhas e os ovos, os porcos, a vaca e seu leite, as frutas, as árvores para a lenha do fogão... Nas nossas terras cabem isso tudo e um pouco mais.

Ei! Ainda tem um espaço aí prum cafezinho, uns biscoitinhos de polvilho ou de nata ou uma broinha de fubá?! Tem?!

E vocês acham que só tem mineiro gordo?! Num tem nada! Só uns safadinhos! Rs! Porque mineiro come bem e até tira a sesta da tarde, mas mineiro trabalha e muito, de sol a sol. E como anda a pé! Mesmo com essa quantidade de subidas e descidas. Qualquer lugar prum mineiro é logo ali! E é de verdade! Pro mineiro longe é um lugar que não existe... Mineiro acompanha procissão, mineiro acompanha até enterro! Talvez porque o mineiro não perdeu a fé... a fé no trabalho, a fé no próximo, a fé no futuro, a fé de que tudo é possível – a Fé no Senhor!

Minas também tem futebol com o seu Atlético e o seu Cruzeiro e todos os outros... Tem artistas do cenário musical conhecidos internacionalmente com o seu Milton Nascimento, seu Clube da Esquina, seu Skank e todos os outros... Tem cidades grandes como Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberlândia e todos os seus concretos... Tem suas cidades universitárias e seus corações de estudantes... Tem suas cidades históricas como Ouro Preto, Mariana, Tiradentes e toda a sua História... Mas mais do que qualquer cenário ou comida típica que possa caracterizar nosso Estado, Minas tem seu povo – o mineiro!

Povo que ainda escuta o barulho e vê a fumaça do trem, perto ou longe da estação... Que ainda lê seus clássicos conterrâneos Guimarães Rosa, Fernando Sabino, Drummond... Que gira com o Gira Mundo... e se emociona com o Galpão... Povo esse que ainda joga dama na praça, que coloca as cadeiras na rua em frente de casa pra ver a criançada jogar bolinha-de-gude, soltar pipa ou brincar de boneca de pano... Que proseia pro tempo passar e chegar a hora da novela... Que ouve rádio AM e toda a programação sertaneja! Que tricota a lã e borda no tecido... Que sonha... Que é amigo... Que ajuda o próximo... Que é irmão! Que pede pro vizinho uma xícara de açúcar pra fazer a calda do pudim de leite condensado... E em troca leva uma bacia cheia de abacates apanhados no quintal! Que ainda consegue olhar pro céu à noite e vê uma noite estrelada! E olhando pra primeira estrela ainda diz: “primeira estrela que eu vejo, me dê tudo que eu desejo"! Que pede o pai da moça pra namorar com ela e que namora na varanda. Que anda de mão dada e apanha flores... Povo que reza, se não todo dia, pelo menos todo domingo! E depois vai pra feira! Que ri baixinho, com a mão no rosto... Que sabe desejar bom dia, boa tarde, até logo, fica com Deus! Que dá um boi pra não entrar numa briga, mas dá uma boiada pra não sair dela! Que não tem pressa, porque sabe que o que é pra ser vivido tem que ser muito bem vivido!

(Bem, Dan, isso é um pouquinho de Minas... Não sei se valeu, mas já sinto que parte do desafio foi cumprido!
Aos meus amigos conterrâneos peço que fiquem à vontade para fazerem suas complementações!
Agora fico esperando a continuação da nossa "brincadeira"!)

5 comentários:

Tiça disse...

Lindo!!!

iaiá disse...

Minas não é um local, é um estado de espírito.. Me deliciei com esse post ! tchau procês !!

Daniel Ferreira disse...

Aninha!! Aninha!! Aninha, "meu amor" (se me permite), que coisa gostosa isso que voce escreveu....Nossa! Á medida que ia lendo cada linha do seu texto, ia imaginando, imaginando...imaginado a beleza que és essa Minas Gerais...Terra fartar em riquezas naturais, culturais/artistica, e, sobretudo, humana. Deu água na boca quando li o trecho que fal das comidas típicas...Êba! Que maravilha! Lembrar, então, do são joão...hummmmm...que delicia! como é gostosa essa época tb! Aninha, muito bem!! PaRABÉNS!!

Estou em divida com voce....
Mas já começo a escrever, no mais tardar, amanhã...e nossa "brincadeira" continua.....

Mil Bjos pro cê!

J@cque disse...

UAU.
Cai aqui vinda de outro blog....mas que boa surpresa!!
Eu AMO Minas..e esse post fala de tudo o que conheço e do que não conheço.
Delicia de ler.
Parabens!!

Anônimo disse...

Me fez chorar muito... que saudade da minha terrinha querida de onde nunca deveria ter saído.