terça-feira, 19 de agosto de 2008

Traição

Chico... Desculpa!
Sei que você ficará chateado, mas foi inevitável, e eu não conseguiria dormir sem lhe contar...
Acabo de lhe trair com o Ivan...

Não! Mas não se preocupe! Não lhe traí com uma massa gostosa!
O acompanhamento hoje foi outro. Se não também já seria demais, não acha?!

Bom, enquanto Ivan cantava para mim, eu na cozinha cortei três cebolas pequenas e as fritei na manteiga. Em seguida, piquei dois tomates e os juntei, sem pele e sem sementes, com a cebola já dourada. Hora de acrescentar o azeite de dendê e umas folhinhas de coentro pra já ir dando o gostinho! Pronto! Com o molho encorpado, cheirando que só!, coloquei os camarões na panela e para não ficarem emborrachados deixei o tempero de sal e alho por último. Mais algumas folhinhas de coentro para arrematar e estava pronto o banquete. Para acompanhar arroz branco, livre-leve-e-solto!

Calma! Não usei nossas taças. Usei as do outro jogo. Ah! E o vinho foi o branco e não o tinto.

Que jantar gostoso... Sensacional!

E o Ivan, educado como sempre, para me agradecer a tão agradável noite, foi-se embora dizendo:

Depende de nós
Quem já foi
Ou ainda é criança
Que acredita
Ou tem esperança
Quem faz tudo
Pr'um mundo melhor...

Depende de nós
Que o circo
Esteja armado
Que o palhaço
Esteja engraçado
Que o riso esteja no ar
Sem que a gente
Precise sonhar...

Que os ventos
Cantem nos galhos
Que as folhas
Bebam orvalhos
Que o sol descortine
Mais as manhãs...

Depende de nós
Se esse mundo
Ainda tem jeito
Apesar do que
O homem tem feito
Se a vida sobreviverá...

(...)

Depende de nós!
Depende de nós!
Depende de nós!...

Ivan... O jantar foi realmente ótimo. Você esteve perfeito, mas... Desculpa!
Não vou conseguir esconder de você...
Vou dormir com Nietzsche...

Um comentário:

sarah disse...

Tudo parecia mesmo perfeito até o coentro aparecer!!!! Tirando ele, realmente sua noite foi demaissss...