segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Antes eu sonhava agora já não durmo...


Bom, até bem pouco tempo atrás eu acreditava que os finais de semana eram feitos para se descansar. Ou a gente estudava a semana inteira e brincava nos finais de semana para descansar dos livros, dos cadernos, da calculadora, ou a gente trabalhava a semana inteira e curtia os finais de semana para descansar do telefone, do computador, do chefe...

“Mas, de repente a madrugada mudou e certamente aquele trem já passou. Se passou, passou daqui prá melhor, foi!...”

Mas, de repente você se pega, pensando: graças a Deus, amanhã é segunda-feira, vêm três dias pela frente para eu poder descansar. Recuperar fôlego para o próximo final de semana que agora cismou de começar na quinta-feira.

Só que despedi de seus amigos dizendo: bom descanso, a gente vai se falando, boa semana pra você... Olhar para trás e ver cada um virando “sua esquina” já dá saudade...

Saudade do encontro da quinta, da comemoração pelo “sucesso do mês” nos Vigilantes do Peso, das cervejinhas, do “boliche” de garrafas querendo virar “ampulheta”, do pão-com-lingüiça, do amigo safado do amigo legal, das fotos no celular. Do hambúrguer na outra lanchonete, do pedido do estranho para ser acordado às sete e meia da manhã seguinte, das amigas partindo para o forró e da consciência de que era melhor parar por ali e voltar para casa porque a semana adulta precisava terminar com uma reunião muito importante na sexta pela manhã...

Saudade da sexta, da nossa inauguração da pizzaria nova, da pizza de frango gratinado, da amiga que preferiu não sair para não piorar sua gripe e estar inteira na próxima sexta (Brigaduuuu!), da amiga dos olhinhos pequenininhos quase chorando porque não entendia porque a outra amiga, de repente, brigou com ela. Saudade de descobrir que um cara que tinha tudo para ser bacana se tornou um babaca após ligar insistentemente treze vezes para o celular, saudade de dizer que era preferível uma caixa de Bis do que ter a companhia desse psicopata. Saudade de depois de seis anos sair com velhos-amigos-antigos-amores e rir de fatos acontecidos há mais de oito anos, saudade desses amigos...

Saudade do sábado, do irmão que veio nos visitar, da Tia Comédia, do biscoito de polvilho, do bolo de chocolate. De saber que pessoas ainda falam de amor. De saber que pessoas falam de amor através de cavalos-marinhos. Saudade da vontade de pedir para as duas amigas deixarem as estranhezas de lado e voltarem a ficar de bem. Saudade do amigo que quis se tornar real, e que não conseguiu, porque tem gente que não devia sair nunca do mundo virtual. Saudade de ignorar as dezoito ligações do tal psicopata da semana. Saudade de reencontrar com os mesmos velhos amigos e novamente, após dez anos, sermos praticamente expulsos do bar porque os garçons precisam dormir. Saudade de pessoas querendo ser nossas amigas. Saudade do pé-sujo mais sujo dos últimos tempos, da batata-frita gigante, do elogio de que com trinta estamos muito melhores que as garotinhas de vinte e poucos, do elogio de que estamos melhores agora do que no tempo da faculdade. Saudade da certeza dos verdadeiros sentimentos, saudade da certeza de que certas pessoas nunca sairão das nossas vidas...

Saudade do domingo, da tentativa de um cochilo depois do almoço para não deixar escapar o restinho do final de semana. Saudade das orações pedindo para sempre ter ao meu lado as pessoas que eu amo e que a cada dia se tornam essenciais à minha existência. Da paciência de ter que suportar pelo menos três ligações e um e-mail do babaca-psicopata e responde-lo com uma versão mentirosa de parte do final de semana, onde entre outras palavras eu dizia: se manca, seu mala! Da volta na pizzaria, dos papos que já recordavam as aventuras dos últimos dias. Do sorvete e do bate-papo na fila de espera da casquinha, onde já combinávamos como seria a próxima semana...

Tudo bem. Amanhã é segunda-feira. Vou poder descansar. Mas descanso feliz porque sei que daqui a pouquinho começa tudo de novo. Porque tenho certeza de que estou viva e mais do que isso de que esta pode ser a melhor fase da minha vida. Porque eu tenho certeza de que terei saudade desses dias. Porque cada vez mais tenho a certeza de que tem gente que queria ser a gente! Tenho pena de quem não pode ser a gente!

Sereníssima
(Legião Urbana)

Sou um animal sentimental
Me apego facilmente ao que desperta meu desejo
Tente me obrigar a fazer o que não quero
E você vai logo ver o que acontece.
Acho que entendo o que você quis me dizer
Mas existem outras coisas.

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a idéia, mas você mudou os planos
Tínhamos um plano, você mudou de idéia
Já passou, já passou - quem sabe outro dia.

Antes eu sonhava, agora já não durmo
Quando foi que competimos pela primeira vez?
O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe
Não entendo terrorismo, falávamos de amizade.

Não estou mais interessado no que sinto
Não acredito em nada além do que duvido
Você espera respostas que eu não tenho mas
Não vou brigar por causa disso
Até penso duas vezes se você quiser ficar.

Minha laranjeira verde, por que está tão prateada?
Foi da lua dessa noite, do sereno da madrugada
Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço
Enquanto o caos segue em frente
Com toda a calma do mundo.

4 comentários:

ju... disse...

Queria escrever assim, como vc e dessa forma tocar os corações das pessoas como vc tocou o meu agora... Saudades de tanta coisa... E de vcs, principalmente...

Sandro disse...

Ler, este texto fez o meu dia, que foi trash, péssimo ser otimo!!! Não tenho palavras para dizer, que não sei mais viver sem vocês!!!
Curupá, loro quer biscoito!!!KKKK!!!

Tiça disse...

Eu emocionei... vcs nem tem dimensão do erro que seria a minha vida sem vcs... !!!!

SARAH disse...

Amigaaaaaa....
Adorei me ler no seu texto e... SIM já estou curada da gripe pra gritar muito brigaduuuuuuu na próxima sexta!
Saudade de tomar sorvete no apê da Paleta e de ir no Cine Santa Cruz (kkk, só nós 2 mesmo) ver tantos filmes.
E ontem foi chocante mas bom saber que somos doidas iguais... minha "rimãmiga" protegida pelo Ierathel... TE AMO!