segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

"A minha borboleta avoeja"




Avoejar =
v. int.,
voar por espaços curtos;
ensaiar o voo;
volitar;
esvoaçar;
adejar.



Ela estava lá... No samba... Naquela mesa única com quase 16 pessoas! Algumas nem se conheciam, mas o samba formava uma comunidade.

De repente eu estava ao seu lado.

Sua alegria naquele ambiente era contagiante. Ela com os seus alguns poucos anos a mais, com suas "marcas" de quem já tinha passado e bem por essa vida, ainda ria de um "bobo da corte" que insistia em animar um ambiente mais do que animado.

Eu fiquei feliz por ver tanta vida numa jovem senhora, apesar dos seus olhos mostrarem um pouco de tensão.

De repente ela vira e diz:
- Sou poeta, sou artista! Quer ver? 'A minha borboleta avoeja'!
E sorriu...

Ela precisava falar de borboleta? Pra mim?! Me conquistou!

Não satisfeita ela continuou com sua tentativa de diálogo comigo:
(Eu só ouvia! Minha cabeça pensava um-monte-de-coisa-ao-mesmo tempo!)
- Não sei como consigo estar tão feliz aqui com um filho passando por tantos problemas...

Seus olhos marejaram... E os meus também...
Mas ela estava feliz! E eu também! E eu a abracei!

Ela retribuiu com um:
- "Quem não gosta de samba, bom sujeito não é! É ruim da cabeça ou doente do pé!"

Quando eu crescer, quero ser igual a você!

2 comentários:

iaiá disse...

Ela é uma borboleta cheia de confetes na cabeça !!

May disse...

ah eu tb quero ser assim quando crescer... fazer samba com a tristeza...