quinta-feira, 20 de março de 2008

Um dia na cidade grande!

Era dia de festa!
A aniversariante escolheu comemorar na Roda de Samba!
As amigas "descontroladas" toparam na hora!
A gambazada se reuniu: o gambá rei, a gambá rainha, a porta-bandeira e a madrinha da bateria!
A questão era: o bar...
O bar não era assim um bar convencional, de pessoas "tradicionais", de situações costumeiras da pacata "falsa-cidade-grande"...
O bar era um conhecido reduto da comunidade GLS!
Os gambás estavam animadaços! Afinal para eles tanto faz o local, o público... O que importa é se eles vão conseguir trocar as pernas por mais uma noite!
Mas para "eles" não era bem assim...




Zé Lelé e Chico Bento!
Temerosos eles foram junto pra festa com a gambazada. Não dava pra ficar de fora. Eles são jeca, mas eles são jóia! E matuto que é matuto não dá ponto sem nó! Eles não seriam doidos de deixarem suas "Rosinhas" sozinhas.
Mas era o dia da Roda de Samba. E seria diferente. Os dois foram avisados que não aconteceria nada de anormal: "Dia de samba é tranquilo. É tudo normal. Podem ficar tranquilos!"
E de olhos arregalados eles entraram no bar...
Da gambazada eu nem preciso falar. Foram entrando, pedindo cardápio, escolhendo a cerveja, a vodka, o refrigerante (pra acompanhar a vodka!) e assumiram seus postos no "bloco".
Já os matutos...
De cara um vira pro outro e diz:
- Nó! Olha ali! Eu juro! Ele era meu amigo! Ele era homem! Será?!
- Ah! Já era! Olha a mãozinha!
E a turma subiu para o mezanino.
A Rosinha percebendo que poderia ser divertido assutar um pouco mais os primos me solta:
- Chico! Toma conta do meu copo! Aqui eles costumam colocar "bala" na bebida da gente!
Chico apavorado observa Rosinha virando e falando alguma coisa para as amigas... (Ela contava sobre sua extrepolia! E as amigas riam!)
E o samba comendo desembolado, quando de repente Zé Lelé, sentadinho no sofá, ao lado do amigo, meio que escondido pra não criar "conflitos", cutuca Chico Bento:
- Óia procê vê!
- Nó!!! Mas são dois homens?!
- Misericórdia!
E de lá eles não saíram. E por lá ficaram. Um protegendo o outro. A cara de espanto era de assustar qualquer um! Rs! Não! Era de fazer qualquer um rir!
De longe a gente podia imaginar o que passava por suas cabeças.
- Óia ali! Quem veio!
- A namorada! (do primo)
- Uai! Será que ela vem sempre aqui? Sem ele?
- É... Ele que é um bocó de ficar lá...
- Inda bem que ele num veio cum nóis!
Mas o samba continuava. A gambazada se divertia. A festa de aniversário acontecia. A aniversariante estava feliz.
E no final da noite, depois de voltarem para casa, uns alegres, outros saltitantes, outros pedindo a morte, Rosinha ouviu Chico dizendo sozinho:
- É, Chicó! Tu nunca viu isso!

(É Chicó! E só tá começando!!!! E cuidado! Porque, segundo o Zé Lelé, isso não vai mudar nunca! Elas não vão querer mudar de vida...)

3 comentários:

Tiça disse...

KKKKK!!!! Mto bom!!!!!!! Mesmo!!!! Ai aiai! KKKKK! Só rindo...

May disse...

hahahhahahahha

deve ter sido muito boa essa noite :D

bjos...

Sandrão disse...

OPs!!! Eu tava lá!!!!