terça-feira, 1 de abril de 2008

Era uma vez...

... um senhor chamado Gepeto. Ele era um homem bom, que morava sozinho em uma bela casinha numa vila italiana. Gepeto era marceneiro, fazia trabalhos incríveis com madeira, brinquedos, móveis e muitos outros objetos. As crianças adoravam os brinquedos de Gepeto. Apesar de fazer a felicidade das crianças com os brinquedos de madeira, Gepeto sentia-se muito só, e por vezes triste. Ele queria muito ter tido um filho, e assim resolveu construir um amigo de madeira para si. O boneco ficou muito bonito, tão perfeito que Gepeto entusiasmou-se e deu-lhe o nome de Pinóquio. Os dias se passaram e Gepeto falava sempre com o Pinóquio, como se este fosse realmente um menino. Numa noite, a Fada Azul visitou a oficina de Gepeto. Comovida com a solidão do bondoso ancião, resolveu tornar seu sonho em realidade dando vida ao boneco de madeira. E tocando Pinóquio com a sua varinha mágica disse:
__Te darei o dom da vida, porém para se transformar num menino de verdade deves fazer por merecer. Deve ser sempre bom e verdadeiro como o seu pai, Gepeto.
Parecia fácil para o boneco, mas em toda boa história ainda havia um detalhe:
Sempre que o Pinóquio mentisse seu nariz o denunciaria e cresceria. A Fada tentava mostrar pro boneco que a mentira é algo aparente, é errado e não deve fazer parte de quem possui um bom coração.

Na história Pinóquio erra, sofre e se redime para chegar a ser gente. E a gente, com esse título “gente” ainda insiste em viver num mundo de mentiras... Inventamos (ou aceitamos!) até uma “data comemorativa” – 1º de abril – Dia da Mentira.
Por que isso? Queremos nos justificar? Nos redimir? Fingir que somos sinceros e verdadeiros com todo mundo o ano inteiro e para nos aliviarmos de tanta rigidez escolhemos uma data onde podemos pregar toda e qualquer peça nos nossos amigos ou não?
Quem dera isso fosse uma verdade! Só mentíssemos no 1º de abril...
O Grilo Falante da história é a consciência do menino-boneco... A nossa consciência? Muitas vezes passamos por cima dela...
Seria muito interessante, pra não dizer cômico, se com a gente também fosse assim: cada mentira pregada, o nariz crescesse!
Já pensou? “Eu amo você!” (tóim!), “Eu amo só você!” (tóim! tóim!), “Eu cheguei em casa cedo!” (tóim!), “Eu não vou sair!” (tóim!), “Vou trabalhar até mais tarde!” (tóim! tóim!), “Vai demorar só um segundo!” (tóim!), “Nunca vou deixar você sofrer!” (tóim! tóim! tóim!)...
Mas não. Somos capazes de por qualquer besteira nos desviarmos da verdade. Num primeiro momento até pode ser porque estamos “pensando no outro”, no “sofrimento do outro”, mas esquecemos que numa mentira não existe só o outro, existe nós mesmos e nossa participação no fato. E “mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira”.

E estaria eu mentindo se não admitisse que o dia de hoje será um dia eternamente marcado na minha vida. Talvez essa “marca” diminua com o tempo, mas por enquanto ela ainda é fresca.
Há dois anos eu verdadeiramente dei o meu “sim” numa união. Sonhei e realizei o sonho de me casar. Com direito a vestido de noiva, igreja, padrinhos e tudo mais! Ah! E direito a um noivo também! (E toda a sua família!). E eu jurava que minha história estava escrita. Que as juras ditas naquele 1º de abril eram verdadeiras. Mas não foram... Talvez a data escolhida já fosse um prenúncio do que viria a acontecer. Muitas mentiras foram pegas, de várias partes, por várias pessoas... E infelizmente os narizes não cresceram... (Quem sabe cresceram rabos e eu não vi!)... Mas felizmente uma verdade maior foi revelada: de que eu era muito maior e merecia muito mais do que aquela simples história de um “casamento feliz”! E num mundo verdadeiro, de pessoas verdadeiras, de amigos que falam o que precisa ser dito, na hora certa, eu voltei a viver.

E estaria mentindo se dissesse que hoje eu não quero comemorar! Quero comemorar sim! Não o passado, mas o presente, o futuro! Tudo de bom que a vida ainda tem reservado pra mim! Tudo de belo, de incerto, de verdadeiro que eu ainda tenho pra viver! Essa comemoração não precisa ser uma festa, com “bolo, guaraná, muitos doces pra você”, mas que seja, pelo menos entre os meus amores verdadeiros, uma comemoração para decretarmos a VERDADE! E que ela seja dita, sempre, doa a quem doer! Porque queremos viver e sermos felizes para sempre!

E se não conseguirmos resistir... por que não uma rodada de chopp????

Ao chegarem à praia, depois de saírem de dentro da baleia, Pinóquio e Gepeto novamente se abraçaram felizes por ter dado tudo certo.
__ Prometo ser obediente, papai! Não mentir e cumprir meus deveres – disse o boneco. Gepeto ficou orgulhoso do filho. Sabia que Pinóquio tinha aprendido valiosas lições. Nesse momento, a Fada Azul apareceu e sorridente disse ao boneco:
__ Você aprendeu as diferenças entre o bem e o mal. O valor do amor, da lealdade .Tudo o que fazemos tem uma conseqüência, que pode ser boa ou ruim dependendo de como agimos. Por tudo o que você aprendeu e pelo modo como agiu, agora farei de você um menino de verdade!
Assim, a Fada transformou Pinóquio em um menino de verdade. E este viveu muito feliz com o seu pai, Gepeto, e com o amigo grilo.

5 comentários:

Sarah disse...

AMIGA,

Me faltam realmente palavras!
Existem pessoas, dias, fatos... que realmente deixam marcas eternas em nossas vidas, sejam elas boas ou não!

Mais do que a marca em si, a cicatriz fica ali para nos mostrar que somos fortes e que SIM, nós temos um poder regenerador pra seguir em frente. Mas que SIM, também somos frágeis e "marcáveis" como qqr ser humano.

Não tente ignorar o dia nem a marca. Deixe que o tempo te mostre o verdadeiro aprendizado dessa e de outras marcas que vc tem e ainda, (in)felizmente vai ganhar.

O que posso te garantir nesse irônico dia da mentira é que MEU AMOR E MINHA AMIZADE POR VOCÊ SÃO COMPLETAMENTE VERDADEIROS, hoje e sempre... e eternamente!

TE AMO
Um beijo, um ombro, um abraço apertado e um suspiro dobrado de um amor e de uma amizade sem fim...

Tiça disse...

Me incomodou não! Esse me emocionou... de verdade... me fez arrepiar... talvez porque sei bem o que é pra vc tudo isso... vivemos isso bem de perto! Vamos agora comemorar porque o passado passou... e vai passar mais a cada ano. Se vc quiser companhia, estarei sempre por aqui... Tb verdadeiramente... ! E com todo o meu carinho.

ju... disse...

Incrível como vc conseguiu fazer "poesia" num dia como este. Como a Tiça, tbm fiquei arrepiada com cada palavra sua neste post.

Comemore seu futuro!!! Não há nada melhor a fazer...

Às vezes longe, às vezes perto... Eu tô sempre aqui! Admirando a Xuxa q Deus colocou na minha vida!

Te amoooo!!! De verdade...

Anna Duzzi disse...

Anna Duzzi.

Pronto. Assinei em baixo do comentário acima.

Incrível como vc conseguiu fazer "poesia" num dia como este. (2)

Bora viver, rir, fazer barulho, subir as escadas de salto e deixar pra trás, enterrado num passado lá longe tudo o que não faz/não fez/ não fará bem.

:*

iaiá disse...

Bom faltou eu né... hihi !! O que tenho a dizer, é que seguimos em frente, pois como você mesmo diz : NÃO HÁ REGRAS !! E para uma situação como essa e um dia como desse.......................... NÃO HÁ MAIS MESNSAGENS !!
:) te amo!