quarta-feira, 2 de abril de 2008

O Barulho do Mundo

Pra mim o mundo tem um barulho...
Um som próprio...
Que nunca se cala.
Quer ver?
Tenta ficar bem quietinho, de preferência de madrugada, quando a cidade está mais calma, quando a sua alma está mais calma...
O mundo vai te mostrar o seu barulho!
É um som indefinido que nos mostra que nunca haverá um silêncio absoluto...
É o “Barulho do Mundo”!
Não sei explicar direito...
Não é assim como se fosse só comigo, como se esse som que eu escuto fosse um barulho-interno-de-mente-trabalhando... É um som...
O que será isso? Alguém sabe?
Acho que deve ser a concentração de todo som intencionalmente causado por seres e coisas que habitam o mundo... Tipo uma propagação infinita...
Já pensou? Se isso não é puramente uma viagem da minha cabeça, esse “barulho” pode aumentar cada vez mais e mais e mais!
E já pensou se a gente começa a ouvir de volta tudo o que já foi dito uma vez?
Vai ser apavorante ouvir brigas, xingamentos, gritos de revoltas, tanto em português quanto em outra língua!
Já imaginou você ouvindo de volta aquele desaforo que você disse pra alguém e depois se arrependeu? Que vergonha!
...
É... Acho que alguém colocou alguma coisa no meu café!
Mas pelo sim, pelo não, pela minha viagem ou não, vou começar a falar (e cantar... e propagar!) só barulhos agradáveis!
Tentarei!
Boa noite!

5 comentários:

iaiá disse...

.... Mas eu também escuto .. Hei! Psiu ! Fala baixo... se não o próximo post escrito e comentado será lá do São Marcos , será que lá tem internet? Psiu, fala baixo ai, ouw !!

Daniel Ferreira disse...

Oi Aninha (posso continuar te chamando assim?)! Esses dias têm sido muito corrido para mim. Por isso, tive dificuldades em atualizar o exclamações!. Mas prometo faze-lo, no máximo, no sabado.

Bem, fazemos mesmo muito barulho. Muitas vezes por nada. Ampliando um pouco, e talvez fugindo ao que voce escreveu, considero que devemos respeitar o próximo, compreende-lo antes de julgá-lo. Devemos, assim, compreender o sentido da vida. Viver, não só em harmonia com os nossos pares, mais, muito mais, aliás, viver em harmonia com o ambiente, ao qual habitamos. O que compreende não somente a parte humana, mas, também, a natural, isto é, à natureza. É aquela coisa que voce escreveu alguns dias atrás, "a palavra é prata, mas o silencio é ouro." Por aí...

Filosofei muito, naum?

naum liga, coisa de doido mesmo...rsrsrs

Bjão, Ana!!!

Anna Duzzi disse...

fui te visitar hoje e vc não tava
o barulho da madrugada do lado de cá (do prédio) é o compressor do bahamas, minuto sim - minuto não. =/

ah nem brinca com essas coisas, viu?
arrepio só de pensar. é fogo isso de não conseguir retirar a palavra que já saiu né?

enfim
hoje to numa falta de criatividade, menina. 4 da manhã, deve ser isso! vou dormir :*

te adoroo

sarah disse...

Detesto intrusos.... hahaha
Entendeu né?

Vi "Antes de Partir" na terça... LINDÍSSIMO... show de bola! E o cara do filme fala do silêncio absoluto e do barulho da montanha! O barulho que só ela faz... Ele tomou o mesmo café que vc...

Bieeeeeeeejo

Sara disse...

Uma parte importante no "barulho do mundo", no momento em que tudo parece silencioso e ele se faz presente, é que ele sempre tem uma coisa nova a nos ensinar. Parece um paradoxo querer aprender no "barulho", mas superar a dificuldade existente nisso, é a conquista do "Silêncio do mundo".

(Liga não, ainda estou sob efeito das "besteiras que fiz ontem e ontem e ontem. rs)

Amo tu!